Quais as dificuldades que a criança pode apresentar em relação a morte de um parente próximo?

Caso a comunicação dos pais não seja adequada, conforme respostas acima, a criança pode apresentar isolamento e aparente anestesiamento emocional escondendo um importante sofrimento, que muitas vezes notifica desafios de mudanças na dinâmica familiar para que uma melhor qualidade de vida seja gradualmente construída. Podem ocorrer algumas alterações abruptas de comportamento destoantes da dinâmica saudável anterior a perda, que comunicam uma dificuldade emocional. Deve-se atentar, por exemplo, à perda ou ao ganho de peso acentuado sem motivo aparente, à agressividade, à enurese noturna (voltar a fazer xixi na cama), à encoprese (evacuar sem controle do esfíncter), à introversão (quando a criança apresentava alegria e espontaneidade), à tristeza, ao isolamento, ao desânimo para realizar atividades que antes eram prazerosas etc. As crianças precisam atribuir significados para então conseguirem explicar o que ocorreu. É necessário decifrar (interpretar o que está mal escrito) a perda de um ente querido para superá-la e esta superação depende diretamente do tipo de apoio que a família provê com a orientação de especialistas.