Podemos dizer que quem supera um trauma e tira uma lição disso desenvolveu a resiliência, certo? Como ocorre esse processo de passagem do trauma para a resiliência?

Resiliência não se trata de um mantra ou um desejado “envelope de segurança” implacável para situações de riscos que envolvem a surpresa e trauma. A resiliência pode ser aprendida e operacionalizada ao longo da psicoterapia. Entre outros fatores, a resiliência envolve o aprendizado quanto a motivação de encontrar sentido na vida diária, a crença de que se pode influenciar o entorno e os resultados dos eventos e a opinião de que se pode aprender e crescer a partir das experiências positivas e negativas. Esses aspectos predispõem à confiança, ao suporte social e à superação das adversidades, facilitando o manejo do estresse. A resiliência e os fatores de ajustamento que se seguiram aos eventos estressores são também mediados pela experiência de emoções positivas, tais como solidariedade, perdão, gratidão, interesse e amor.

Trecho de entrevista concedida ao O site Abílio Diniz ((http://abiliodiniz.uol.com.br/abilio-diniz.htm))