Como um trauma, incluindo morte de familiar, separação, acidentes, desastres, doenças ou atos de violência, podem prejudicar o bem-estar e a qualidade de vida do indivíduo?

Além de provocar sofrimento de importante magnitude e duração, o trauma psicológico pode afetar depreciativamente a qualidade de vida quanto ao funcionamento cognitivo, a saúde física e as relações interpessoais. Observo freqüentemente na prática clínica as seguintes reações:
• Efeitos cognitivos
– Confusão mental.
– Desorientação temporal (cronológica).
– Difi culdade de concentração e de tomada de decisão.
– Difi culdade em expressar pensamentos.
– Estreitamento perceptual.
– Incredulidade e descrença.
– Pensamentos intrusivos (indesejados).
– Perturbações de memória.
– Pesadelos.
– Preocupações exacerbadas.

• Efeitos emocionais
– Amortecimento e anestesiamento.
– Ansiedade.
– Apreensão.
– Culpa.
– Desamparo.
– Desesperança.
– Desespero.
– Irritabilidade.
– Negação.
– Pânico.
– Raiva.
– Tristeza.

• Efeitos físicos
– Abuso de álcool ou drogas.
– Alterações cardiovasculares (aumento ou diminuição da frequência cardíaca).
– Arrepios.
– Excitação, estado de alerta e hiperatividade.
– Fadiga.
– Fraqueza.
– Insônia.
– Perda da energia sexual.
– Perda do apetite (ou alimentação compulsiva).
– Problemas de saúde (somatizações como, por exemplo, dor de cabeça, desconfortos gástricos, diarreia, dor de estômago, náusea etc.).
– Tonturas.
– Transpiração intensa.
– Tremores.

• Efeitos interpessoais
– Conflitos de relacionamentos sociais.
– Isolamento.
– Perturbações familiares.
– Prejuízo do desempenho profi ssional.
– Recusa de seguir regras ou ordens.

Trecho de entrevista concedida ao O site Abílio Diniz ((http://abiliodiniz.uol.com.br/abilio-diniz.htm))