Você está triste ou deprimida?

A tristeza é uma das cinco emoções naturais aos seres humanos e se manifesta normalmente diante de situações que envolvem principalmente perda, desamparo, frustração/desapontamento, fracasso e/ou exclusão/rejeição. Por outro lado, a depressão tem características neuroquímicas importantes e não depende de um evento gatilho para se manifestar enquanto uma tristeza profunda necessariamente tem sua causa relacionada a um ou mais episódios. Em poucas palavras, a tristeza passa enquanto a depressão persiste. Por exemplo, a tristeza profunda que uma pessoa vivencia ao perder um ente querido não é uma depressão. O luto é uma resposta natural, pode continuar por um ou dois anos e mesmo assim, não deve ser confundido com depressão. São vários os tipos e subtipos de depressão (ou estados depressivos). O diagnóstico dos estados depressivos deve considerar se os sintomas são primários ou secundários a traumas psicológicos, doenças, uso de drogas e medicamentos. Fatores hormonais (como o funcionamento precário da tireóide ou desbalanceamento de outros hormônios) são variáveis que devem ser consideradas para que não aconteça um falso diagnóstico. No diagnóstico da depressão são considerados os sintomas psíquicos (tristeza, angústia, autodesvalorização, culpa, diminuição da capacidade de experimentar prazer nas atividades antes consideradas agradáveis, sensação de perda de energia, dificuldade de se concentrar ou de tomar decisões), fisiológicos (alterações do sono, alterações do apetite, redução do interesse sexual) e evidências comportamentais (retraimento/isolamento social, crises de choro, comportamentos suicidas, lentificação ou agitação motora expressivas). Para ilustrar algumas diferenças entre os estados depressivos vale lembrar: a depressão pode ter características catatônicas quando a pessoa manifesta alterações da psicomotricidade (imobilidade, atividade motora excessiva, mutismo, imitação automática, etc.); a depressão pode também manifestar características psicóticas quando ocorrem delírios e alucinações (estima-se que 15% dos quadros depressivos apresentam sintomas psicóticos); as depressões crônicas são geralmente de intensidade mais leve que a depressão maior; a depressão sazonal é comum em países com estações do ano bem demarcadas, e geralmente ocorrem no outono e inverno. Curiosamente, embora a tristeza esteja entre os principais indicadores da depressão, nem todos os pacientes deprimidos manifestam essa emoção, mas especialmente a perda de energia (cansaço) e da capacidade de experimentar prazer além do desinteresse pela vida.