Religiosidade e espiritualidade pode proporcionar resiliência

Explique como a religiosidade/espiritualidade pode proporcionar resiliência para as pessoas?

Crenças e práticas religiosas podem reduzir a sensação de perda do controle e de desamparo, podem fornecer uma estrutura cognitiva capaz de diminuir o sofrimento e, ainda, fortalecer o indivíduo para reconstrução de sua vida, implicando em respostas resilientes.

Explique como foi feito o estudo em que mostra isso?

O estudo Terapêutica do trauma psicológico de policiais militares: estudo com ressonância magnética functional mostrou que a Religiosidade/Espiritualidade tem um importante papel no caminho da superação. Os preditivos de resiliência mais importantes foram a autoeficácia (confiança em si), a empatia e otimismo. A religiosidade teve um papel ativo na resiliência conforme as escalas DUREL e RCOPE. Dois principais fatores mostraram destacada significância: “busquei o amor e o cuidado de Deus” (procura de apoio espiritual) e “eu procurei colocar meus planos em ação junto com Deus” (enfrentamento religioso colaborativo). Tais reservas cognitivas influenciaram o manejo do evento traumático bem sucedido. Observamos que a resiliência pode ser adquirida e os conhecimentos desse processo não são restritos ao momento: beneficiam também outros domínios da vida ao longo do tempo. O sofrimento traumático pode ser de fato, parte de uma história de superação.

Nos últimos 15 anos reunimos centenas de publicações em periódicos científicos que reconhecem, na maioria das vezes, a experiência religiosa como provedora do reequilíbrio e saúde da personalidade. A religiosidade e a espiritualidade estão fortemente enraizadas numa busca pessoal para compreender a vida, seu significado e suas relações com o sagrado, o transcendente e podem oferecer suporte para indivíduos responderem a situações traumáticas em que fragilidade, vulnerabilidade e limites humanos são confrontados. Assim, as crenças e práticas espirituais e/ou religiosas podem contemplar essa necessidade de buscar um sentido para a vida e influenciar a maneira como as pessoas interpretam e lidam com acontecimentos traumáticos. Centenas de estudos têm investigado a relação entre envolvimento religioso e saúde mental. A maioria deles revela que quanto maior o envolvimento religioso, maior o bem-estar e a saúde mental. O uso positivo da religião esteve associado não só a melhores resultados físicos e mentais em pacientes com enfermidades graves, como também em vítimas de traumas psicológicos, conforme mostrou nosso estudo.

Entrevista com o Dr. Julio Peres para o Jornal Comunidade