Quando é hora de recomeçar

Procurar ajuda profissional traz superação e crescimento pessoal.

Grandes mudanças geralmente “chacoalham” o conhecido cotidiano e podem criar oportunidades de crescimento pessoal através da reflexão e introdução de novos valores e perspectivas para a vida. A cultura chinesa traz uma interessante contribuição sobre a possibilidade de crescer a partir de acontecimentos dolorosos. A pala¬vra ‘trauma’ (chuangshang) é a justaposição de dois caracteres: ‘Criação’ (chuang) e ‘Dor’ (shang). “A Psicologia e a Psiquiatria estudam os diferenciais de comportamentos dos numerosos indivíduos que prosperaram (do latim pro+sperare: esperança adiante) após grandes mudanças de vida como esteios para novas formulações de estratégias terapêuticas. A melhora consistente da qualidade de vida das pessoas que após eventos impactantes buscaram a psicoterapia envolve geralmente cinco fatores: desenvolvimento de novos interesses e objetivos, apreciação e valorização da vida, melhor relação familiar e interpessoal, resgate da religiosidade e espiritualidade no dia-a-dia e a descoberta de força e recursos pessoais para superação de adversidades”, explica Julio Peres, psicólogo e doutor em Neurociência e Comportamento pela USP. Ainda segundo a organização World Values Survey, que abordou o sistema de valores humanos em mais de 60 países, o bem-estar consistente está relacionado a uma maneira coerente de viver. Ou seja, o desenvolvimento da generosidade, da cooperação e do altruísmo estiveram relacionados tanto ao processo de crescimento pessoal, como a um estilo de vida consistente de felicidade. “A angústia é o principal termômetro indicador de que já é hora de fazer algo novo com um significado maior para a existência. A temperança e o tempo para um mergulho íntimo são necessários na busca do significado mais amplo para o viver, e a psicoterapia tem ajudado muitas pessoas dispostas a mudarem suas vidas para melhor”, explica o psicólogo Julio Peres.

Julio Peres

Psicólogo clínico e Doutor em Neurociências e Comportamento pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. Fez Pós-doutorado no Center for Spirituality and the Mind, University of Pennsylvania e na Radiologia Clínica/Diagnóstico de Imagem pela UNIFESP. Autor dos estudos Brasileiros que investigaram os efeitos neurobiológicos da psicoterapia através da neuroimagem funcional (Psychological Medicine 2007 e Journal of Psychiatric Research 2010). Possui artigos científicos publicados sobre trauma psicológico, psicoterapia, resiliência, espiritualidade e superação. Pesquisador do Programa de Saúde, Espiritualidade e Religiosidade (PROSER) do Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo. Autor do livro “Trauma e Superação: o que a Psicologia, a Neurociência e a Espiritualidade ensinam” editora ROCA.