Revista Pais & Filhos – Abaixo a culpa

Eu grito com meu filho

A gente evita ao máximo, mas às vezes escapa. Sabe quando a casa está silenciosa e tudo bom demais para ser verdade? Aí, você chega na sala e vê que aqueles lápis de cor agora estão sendo usados para decorar a parede recém-pintada? O baque é tão grande, que o grito sai alto e o rosto do seu filho fica manchado de lágrimas. Na hora pensamos: será que precisava ter gritado?”

 

Leia Mais sobre a entrevista