Tentava Preencher um Vazio que Nunca Acabava…

Relato de Carla, 19 anos, estudante.

Quando cheguei à clínica do Dr. Julio não estava nada bem… Vivia inquieta, tinha muitos desentendimentos com a minha mãe (moro). somente com ela; (meus pais são separados) e problemas nos relacionamentos amorosos. Desde a adolescência tive muitos namorados (corri riscos sérios muitas vezes) e ao mesmo tempo não tinha ninguém.Estava sempre só dentro de mim e tentava preencher um vazio que nunca acabava… Tinha horror de ser abandonada! Não me Considero burra, mas atraía essas situações de rejeição. Parecia que “escolhia a dedo” aqueles que me abandonariam.A terapia me ajudou a descobrir o trauma que eu sofri aos 3 anos de idade, quando o meu pai (que segundo a minha mãe eu adorava) foi simplesmente embora e nunca mais voltou. Não me lembrava de que na época eu sofri muito. As minhas vivências foram mostrando isso, fiquei quietinha, parei de falar por vários meses e não entendia
por que meu pai não me queria mais e nunca mais voltava. Minha mãe confirmou tudo que eu percebia na terapia e me deu muito apoio. Meu medo inconsciente que acontecesse a dor do abandono de novo me fazia procurar vários namorados e ter outros problemas que me acompanharam até a fase adulta.Às vezes, pensamos que não conseguiremos superar algo em nossas vidas, mas basta detectar o trauma para traçarmos um “caminho sem buracos” e assim viver em paz e tranqüila como estou vivendo hoje.