Explodia em uma Ira Incontrolável e Destrutiva…

Explodia em uma Ira Incontrolável e Destrutiva…

Relato de Pedro, 38 anos, engenheiro e administrador de empresas, casado.

Acredito que, como a maioria das pessoas, fui conversar com o Julio Peres por desespero, por não aceitar mais a infelicidade da minha vida. Desde havia muito tinha reações exageradas quando vivenciava conflitos, principalmente entre familiares. Começava a ficar nervoso com qualquer discussão e ao esquentar o clima, a partir de um ponto que não sei precisar, explodia em uma ira incontrolável e destrutiva, que só parava quando muito estrago emocional e físico já havia acontecido. Queria muito mudar, o que foi a chave de todo o processo. Sabia que perderia meu casamento, minha vida e minha saúde se continuassem a tratar as situações daquela maneira. Resolvi que faria tudo que estivesse ao meu alcance para solucionar essas sensações desagradáveis que me acompanhavam desde a infância. Sofria com aquelas explosões que nem mesmo sabia de onde vinham. Procurei a Terapia Reestruturativa Vivencial Peres e, logo no começo, gostei muito da abordagem séria, transparente, objetiva e direta ao ponto, do jeito que gosto de tratar dos problemas. O Julio Explicou-me que o inconsciente, segundo Freud, é um arquivo de memórias e que se eu quisesse nós poderíamos tentar perguntar a ele qual a origem dos meus comportamentos para fins terapêuticos. Fomos trabalhando os sintomas um de cada vez. As vivências em estados de consciência ampliados foram trazendo informações valiosas para a minha transformação. Aos poucos fui me conectando com as origens de minhas reações, vivenciando profundamente as mesmas dores e sentimentos de momentos críticos de minhas vidas anteriores, de milênios atrás até o século passado. Nessa volta ao passado, o Julio me ajudava a substituir as mensagens de trauma registradas em meu inconsciente por mensagens novas de aprendizados positivos, que eu trabalhava durante os dias seguintes. Em muitas vivências, o perdão aos outros ou a mim mesmo e o pedir perdão de meus atos naqueles episódios foram muito positivos para mim. Este processo me aliviava de alguma maneira. Embora muito dolorido, não teve momento mais importante e libertador em minha vida. Nas últimas sessões, comentei em lágrimas que me sentia extremamente feliz de poder ter vivido e tido a oportunidade de me transformar em tão pouco tempo. Meu desejo era que todo o ser humano tivesse aquela oportunidade. Estava em estado de gratidão, ao Julio e à vida por terem me ajudado a me libertar de todo aquele passado. Nunca mais voltei a me sentir com aquela ira incontrolável. Muitos episódios me fizeram entender melhor meus pais, as situações de minha vida atual, e, principalmente, a mim mesmo.