Disparou meu Coração e Vieram os Pensamentos Catastróficos de Morte…

Relato de Maria Ruth, 47 anos, casada, mãe de duas filhas, dona de casa.

Há três anos acompanhava minha filha durante uma avaliação neurológica para investigar as causas de dois desmaios recentes. O neurologista, ao conversar comigo sobre minha filha, fez algumas perguntas sobre a minha “história neurológica” e então sugeriu que eu também fizesse um exame de imagem (ressonância magnética nuclear) para controle e esclarecimento de uma dúvida. Fomos ao retorno e com alívio soubemos que os exames da minha filha não acusaram nenhuma anormalidade. As desmaios foram atribuídas à alimentação e atividades físicas irregulares, que facilmente poderiam ser controladas a partir dali. Contudo, apesar da boa primeira notícia, os meus exames revelaram uma neurocisticercose com indicação cirúrgica. Imediatamente, fiquei assustada e perplexa com a surpresa. Disparou meu coração e vieram os pensamentos catastróficos de morte. Quando cheguei ao consultório do Dr. Julio, eu preenchia todos os critérios de TEPT agudo (memórias traumáticas) do médico dando a notícia da neurocisticercose, pesadelos, pensamentos (indesejáveis, irritabilidade etc.). Em uma das sessões eu tive um insight, que trouxe uma nova maneira de ver a aterrorizante situação: “melhor comigo do que com a minha filha”. Essa frase marcou o início de outros diálogos comigo mesma, positivos a respeito da cirurgia e do meu tratamento neurológico. É incrível como a figura da situação mudou. Eu sou mãe, e se isso acontecesse com a minha filha, eu certamente pediria a Deus para deslocar suas dores a mim, poupando-a do sofrimento. Durante as sessões, eu me lembrava de outras situações que fortaleciam essa visão, como a de uma mãe que não sabia nadar e se atirou na piscina para salvar seu filho pequeno. Realmente, como mães, fazemos coisas pelos f lhos que talvez não fizéssemos para nós mesmas. Fui sentindo as bases sólidas de calma, paciência e confiança de que o melhor estava acontecendo! Felizmente, com a permissão de Deus, minhas respostas foram também positivas após a cirurgia.